Orientações de Internamento

Dia anterior a cirurgia

  1. No dia que antecede a cirurgia é importante adequar a alimentação com ingesta pobre em resíduos: O que é permitido comer?
    1. Pão branco, cereal refinado cozido, macarrão, arroz branco.
    2. Bolacha de água e sal, de água, torrada, biscoito de polvilho.
    3. Banana-maçã, banana-prata, maçã sem casca ou raspada, purê ou papa de frutas, frutas assadas ou sem casca, sucos coados.
    4. Batata, cenoura, chuchu e abobrinha cozidos, em forma de purê ou creme, em sucos e sopas.
    5. Leite a base de soja, leite pobre ou isento de lactose.
    6. Bife macio, frango sem pele, peixes, clara de ovo (cozidos ou assados).
    7. Óleos e margarinas sem sal e sem excessos em pequenas quantidades.
    8. Chá mate, preto ou de ervas.
    9. Gelatina, sagu.
    10. Água de coco, groselha, bebidas isotônicas.
  2. Iniciar jejum 8 horas antes da cirurgia (Até 3 horas antes pode se manter ingesta de água, suco de fruta sem polpa, chá sem resíduo, isotônicos);
  3. Depilação conforme orientação;

Dia da cirurgia

  1. Tomar medicações de pressão com gole de água como de costume;
  2. Ingerir 01 frasco 200 ml de fresubin jucy drink 3 horas antes da cirurgia;
  3. Tomar banho com água corrente e sabonete habitual (pode ser de iodopovidona);
  4. Chegar ao hospital preferencialmente 2 horas antes do horário da cirurgia, acompanhada;
  5. Levar para o hospital todos os exames, consentimento informado assinado, guia de internamento;
  6. Retirar adornos como piercing, brincos, colares, relógios;
  7. Esmalte de cor clara é permitido;
  8. Colocação da bota pneumática para profilaxia de trombose (no centro cirúrgico);
  9. Colocar meia ¾ elástica de compressão média (18 – 21 mmHg) – pós-cirúrgica para profilaxia de trombose;

Pós-operatório – Durante a sua internação

  1. Dor pós-operatória: as medicações para dor serão administradas pela equipe de enfermagem de maneira profilática (antes de o paciente sentir dor intensa) e de acordo com a necessidade do paciente. Pode ocorrer um pouco de dor no ombro, decorrente do dióxido de carbono (gás) usado para inflar o abdome quando a cirurgia é por vídeo-laparoscopia;
  2. Dieta pós-operatória: É importante introduzir o mais precoce possível a alimentação:
    1. Ao chegar no quarto, se estiver bem acordado, pode iniciar a ingesta de liquido (Ingerir novamente Fresubin jucy drink) quando desejar;
    2. É recomendado goma de mascar sem açúcar 3x ao dia por 30 minutos cada vez;
    3. Quando aceitar, poderá iniciar com dieta sólida;
  3. Náuseas: O paciente poderá sentir náuseas relacionadas ao procedimento. A medicação para o tratamento de náuseas persistentes estará disponível e deve ser solicitada a equipe de enfermagem;
  4. Sonda vesical: O paciente pode (não é usado em todo paciente) receber uma sonda vesical para drenar a bexiga (que é colocada no paciente, na sala de cirurgia, enquanto ele está dormindo). Não é incomum a urina estar tingida de sangue por alguns dias, após sua cirurgia;
  5. Fisioterapia: O paciente poderá ter que fazer alguns exercícios de respiração muito simples para ajudar a prevenir infecções respiratórias. Tosse e respiração profunda são importantes na recuperação do paciente e ajudam a prevenir pneumonia e outras complicações pulmonares.
  6. Deambulação: É muito importante sair o mais rapidamente possível do leito e começar a andar com a supervisão da equipe de enfermagem ou membro da família para ajudar a prevenir a formação de coágulos nas pernas, melhorar o funcionamento do intestino e prevenir pneumonia. Obviamente esse deve ser um processo lento e progressivo. Inicialmente reclina-se a cabeceira da cama, aguardam-se 10 a 15 minutos para depois o paciente sentar-se. Permanecer sentado pelo mesmo tempo. Em seguida, se levantará ao lado da cama e caminhará lentamente dentro do quarto.
  7. Constipação (prisão de ventre): O paciente pode ter o funcionamento intestinal lento por vários dias ou várias semanas. Alimentação adequada, supositórios e laxantes normalmente solucionam o problema. Alguns medicamentos para a dor, derivados de morfina, podem agravar ou causar prisão de ventre e, portanto, seu uso deve ser interrompido na medida da tolerância à dor por parte de cada paciente.

Após a alta do hospital

  1. Seguimento: O paciente precisa agendar uma consulta de acompanhamento para acompanhamento em até 15 dias após à alta hospitalar.
  2. Se ocorrerem anormalidades, o paciente deverá retornar ao pronto atendimento do Hospital onde realizou a cirurgia que entrará em contato com o cirurgião.
  3. Controle da dor: O paciente poderá sentir alguma dor que demandará medicação adequada por alguns dias, após a alta.
  4. Banho: O paciente poderá tomar banho de chuveiro depois de voltar para casa. Sua ferida, quando houver, pode ser lavada com água e sabão, mas deve ser secada logo após o banho. Banhos de banheira não são recomendados nas primeiras 2 semanas após a cirurgia, pois podem aumentar o risco de infecção.
  5. Atividade: Caminhadas leves diárias são fortemente aconselhadas. Deve-se evitar ficar sentado ou deitado por um tempo prolongado. Subir escadas é possível, mas deve ser realizado lentamente. Deve-se evitar dirigir automóveis por pelo  menos 2 semanas após a cirurgia. Absolutamente nenhum trabalho pesado (mais de 10 Kg) ou exercício (corrida, natação, esteira, bicicleta) poderá ser feito durante quatro a seis semanas após a cirurgia, até que sejam liberados pelo médico.
  6. Dieta: O paciente deve beber muito líquido e discutir com seu médico se deverá restringir algum tipo de alimento.
  7. Resultados de anatomia-patológica (biópsia): Os resultados da biópsia normalmente estarão disponíveis 15 dias após a cirurgia .
  8. Situações que devem ser comunicadas ao médico ou exigem ir ao pronto atendimento de imediato:
    1. Febre;
    2. Calafrios;
    3. Prostração;
    4. Dor muito intensa que não estava presente antes;
    5. Secreção pela ferida cirúrgica;